quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Pão e Circo X Bolsa Família e Futebol

01/07/2014 08:01

     Sempre achei que o Brasil fosse um "samba do crioulo doido", como diz a expressão, um amontoado de gente sobre um continente, fazendo o que bem entendia sem se preocupar com o amanhã, achava que conspirações e planos para domínio fossem coisas dos EUA, até que estudando o antigo império romano encontrei o termo "política do pão e circo" ou Panis et Circenses. Por essa política, o Estado da época buscava promover os espetáculos como um meio de manter os plebeus afastados da política e das questões sociais. Era, em suma, uma maneira de manipular a plebe e mantê-la distante das decisões governamentais. Havia distribuição mensal de pães no Pórtico de Minucius, que assegurava o pão cotidiano.

     E então? Familiar? Manter o povo ocupado com divertimento e oferecer alimento, e assim, afastar o povo da política e de qualquer cargo determinante na sociedade. É a "política do bolsa família e futebol". Uma cultura na qual os menos favorecidos da sociedade são mantidos ocupados em campeonatos intermináveis, sabendo o nome de cada jogador de cada time, sua trajetória e origem, mas não fazem ideia da história dos candidatos a presidente do pais. Cultura na qual pessoas que ganham o bolsa família são tidas como felizardas, merecendo ou não o benefício. Não estou criticando quem gosta de futebol, não estou criticando quem recebe o bolsa família, estou apenas apresentando uma nova perspectiva dos fatos.

    Sou brasileiro, assisti aos jogos da copa reunido com a família, mesmo não sendo fã do esporte, e cansei de ver pessoas aos prantos em frente aos telões, fazendo preces pelos jogadores e até deixando suas famílias ou compromissos quotidianos para ir pra entrada da Granja Comari esperar pessoas normais, meros seres humanos com cabelos estilosos e salários milionários (que diga-se de passagem, são meros piões na mesa de um sistema capitalista e frutos de um departamento de marketing que vai descarta-los assim que cumprirem seu objetivo, ou seja, vender produtos dos quais você não precisa) passarem por eles sem nem sequer olhar em suas faces.

     E para quê? Depois de tudo aquilo, nosso pais continua com obras superfaturadas e inacabadas, um lixo de saúde e vergonha de educação (temos os resultados do ENEM para provar isso), não sou contra a seleção, sou a favor de um país melhor, se você também é, eu te faço uma proposta, se lembre de toda a animação do dia da abertura da copa, se lembre do patriotismo na hora do ino nacional e de como da orgulho ser parte dessa nação, dai nas próximas eleições, saia da cama para ir votar com essa mesma animação. Mas não é pra transformar os candidatos em times como em 2014, quando amigo se voltou contra amigo como se todos fossem rivais, para que no final das contas, depois de todo o barulho dos protestos o Brasil e o estado do Rio ficassem exatamente como antes. Se prepare para essa festa da democracia, se informe sobre a vida dos candidatos da mesma forma como você faz com os jogadores, e assim, nós teremos muito mais motivos para ter orgulho de ser desse país tropical, abençoado por Deus e bonito por natureza. Mas essa é apenas a Minha Humilde Opinião. 

Ass: Bruno Santos

Fontes: http://somostodosum.ig.com.br/mob/blog.asp?id=8514