quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Futebol, pra quê te quero?

     Quando eu nasci fui automaticamente introduzido, por influências familiares, em um grupo de indivíduos conhecida como "torcedores do Flamengo". Eu não tinha nenhum motivo claro para torcer para esse time senão o fato de todos ao meu redor fazerem o mesmo. Ao longo da minha vida, conforme eu crescia, descobria os outros times e o que eles representavam, não apenas para seus torcedores, mas para todo o país, percebi uma coisa que iria modificar drasticamente minha vida me tornando um aliem entre os garotos da minha idade ... eu não gostava de futebol. Ainda não gosto e não acho que vou gostar algum dia. Não tenho paciência para assistir, habilidade para jogar e nem vontade de entrar nas longas e as vezes violentas discuções sobre a clareza de suas regras e como uns ou outros não as cumpriram no ultimo jogo. 

     Você pode achar que isso é bobeira, mas foi primordial para a minha formação como indivíduo. Eu vejo com estranheza pessoas que com roupas, acessórios e até marcando a própria pele procuram declarar seu amor para uma instituição que no final das contas tem o simples objetivo de trazer lucro aos seus presidentes,  dirigentes, investidores e patrocinadores. O que efetivamente um torcedor ganha sendo um torcedor? Satisfação pessoal quando o time ganha? Existe realmente uma satisfação em ver pessoas que não te conhecem jogar uma partida de futebol na qual você não pode interferir e sabendo que ganhando ou perdendo no fim do mês o jogador receberá seu salário milionário?

     Falando em salários milionários, o que faz um contrato de um clube com um jogador chegar a valores tão altos? Por quê não se paga assim por um médico, professor ou bombeiro que tem funções bem mais importantes na sociedade? Talvez os professores devam começar a usar uniformes com propagandas de materiais escolares, os médicos de laboratórios farmacêuticos e assim por diante, talvez isso valorize já que o seu trabalho duro parece não ser suficiente. Um jogador de futebol influencia tanto assim no futuro do país? Ele pode te curar de uma doença ou ensina seus filhos a ler?

     Bem, um jogador pode não influenciar o seu futuro (ainda), mas ele já influencia no seu vestuário, no seu pentiado e até na sua alimentação, já que ele está presente em todas as propagandas, as vezes eu tenho a impressão que se uma comitiva de alienígenas visitasse a terra e pedisse para ser levada ao nosso líder, teria difículdades para acreditar que este não é o Neymar. Ao que parece, o seu time influencia também no seu caráter, já que as pessoas se referem aos indivíduos que fazem parte de uma mesma torcida como sendo um grupo de clones com os mesmos pensamentos e atitudes, se você é vascaíno é assim, se botafoguense é assim, isso é como um horóscopo de times.

     Isso pode ser considerado preconceito, julgar o caráter de uma pessoa pelo uniforme que veste é menosprezar todos os outros aspectos da vida dessa pessoa, tudo mais que ela é antes de ser torcedora de um time. Em contrapartida, existem pessoas que colocam o time a frente de tudo mais que elas são, e a frente de muitas coisas que deveriam ser mais importantes, como os estudos, a família e até de Deus. Quando uma pessoa coloca a final do campeonato na frente de tudo mais que vai acontecer naquele dia ela está transformando o time em um ídolo, e acredito que todos saibam o que a bíblia diz sobre idólatras. 

     O futebol veio para o Brasil em 1894 pelas mãos de Charles Miller que trouxe ao país a primeira bola após voltar da Inglaterra, mas o futebol por aqui era praticado apenas por pessoas da elite, sendo vetada a participação de negros em times de futebol, acredito que assim como o pólo e a esgrima ele teria permanecido um esporte dessa classe, se os negros não tivessem não apenas se tornado jogadores, mas se tornado astros do esporte, isso fez a massa querer conhecer, querer tentar, querer deixar a multidão e ser parte do time, para a esmagadora maioria, torcer ainda é o mais próximo que se chega de ser parte da equipe.

     Acabamos de passar por uma Copa do Mundo, um evento no qual este esporte é reverenciado em nível global, nenhum outro esporte possui um evento de tamanha escala, e nenhum país da tanta importância a isso como o Brasil, que decretou feriados, criou estruturas de transporte, reforçou policiamento e até criou novas leis para defender este evento, a minha pergunta é: se eles podiam, por quê não fizeram tudo isso antes? Qual era o impedimento de aumentar o número de policiais nas ruas, criar leis contra a violência e tráfico de drogas, tirar moradores de rua de lá e tantas outras coisas que de uma hora para a outra se tornaram possíveis? Quanto tempo mais os brasileiros vão se deixar levar pelas aparências e conveniências que nos tornam cada vez mais desprezíveis? Não tenho ódio do esporte, nem acho que ele deveria ser banido, só acho que seria mais vantajoso ser o país da educação, o país da saúde, o país da qualidade de vida que o país do futebol, mas sinceramente, essa é apenas a Minha Humilde Opinião.

Ass: Bruno Santos