quarta-feira, 27 de maio de 2015

Assassino de Bolso


     Em 29 de agosto será o Dia Nacional de Combate ao Fumo, sendo adepto desta causa, trago algumas informações sobre esse personagem tão controverso da nossa sociedade. O cigarro é um instrumento de suicídio lento e doloroso, se você fizer uma pesquisa verá que a cerveja em quantidades controladas tem benefícios para a saúde, o vinho idem, até a maconha que é uma droga viciante que degrada o celebro e altera o comportamento dos usuários pode ser usado para fins medicinais em alguns casos, mas o cigarro não, é só um veneno que faz com que as pessoas fiquem fedidas por fora e podres por dentro. Ele é uma das principais causas evitáveis de mortes prematuras em todo o mundo. Segundo estimativas da Organização Mundial da Saúde, 4 milhões de pessoas morrem por ano devido a doenças causadas diretamente pelos derivados do tabaco, até 2025 dez milhões de mortes serão causadas ao ano por ele.

     O tabaco se tornou conhecido do resto do mundo quando os navegadores europeus, chegando no continente americano, encontraram os nativos imersos em rituais nos quais se intorpeciam inalando a fumaça da planta que foi considerada medicinal, sendo levada para o continente europeu predominou na forma de tabaco fumado dando inicio a industrialização do cachimbo. Na Inglaterra e França o hábito de fumar foi tão amplamente difundido, que logo vagões de fumar foram introduzidos em trens, e salas de fumar em clubs e hotéis. Até mesmo roupas apropriadas para a prática foram criadas, o smoking é um exemplar. No século XIX surge o cigarro propriamente dito. O difusor do tabaco na Europa foi Jean Nicot (Nicot, Nicotina, sacou?), na época a cura de mais de 60 doenças foram atribuídas ao tabaco, as propriedades terapêuticas do tabaco foram aceitas sem restrição pela população em geral e até pelos médicos. Entretanto as denúncias sobre seus efeitos colaterais não demoraram a aparecer.

     Entretanto mostrar que ele era um vilão não seria uma tarefa fácil, o fumar foi assumido como uma forma de afirmação na sociedade, status e até mesmo sensualidade. Artistas famosas, carros, ideias de poder ligadas ao fumo eram muito comum nos comercais. Isso porque, acreditava-se, que quanto antes convencer que “fumar é bom”, melhor para as vendas, pois garantirá um adulto que fuma. Pode-se considerar que o ato de fumar está, muitas vezes, mais ligado ao ritual que envolve o ato de fumar do que à própria nicotina.

      Felizmente o tempo passou e o acesso a informação propiciou um maior conhecimento sobre os efeitos dessa droga, inclusive para os fumantes passivos, a fumaça do cigarro prejudica diretamente o funcionamento da circulação coração-pulmão. Com o passar do tempo os alvéolos pulmonares vão sendo cimentados pelos componentes da fumaça do cigarro, deixando de fazer sua função. O organismo então passa a ter menor oxigenação dos tecidos, resultando em maior facilidade de cansaço para o fumante. O cigarro também causa inúmeros danos ao coração e pulmão, tal como infarto e câncer.

     Além da já famosa Nicotina o cigarro ainda conta entre seus ingredientes com acroleína, fenóis, peróxido de nitrogénio, ácido cianídrico, amoníaco, alcatrão e outros agentes cancerígenos. E o pior não é pensar no quanto 35 milhões de brasileiros são idiotas o suficiente para por tudo isso para dentro de seu organismo e ainda por cima pagar por isso, o pior é saber que quem fica perto de uma pessoa dessas é mais prejudicado que a própria pessoa, até porque a pessoa que fuma tem a "proteção" do filtro. Acho que o único momento em que um fumante é querido POR SER FUMANTE é quando chega a hora de acender a vela de aniversário e ninguém encontra os fósforos.

http://pt.m.wikipedia.org/wiki/Cigarro

http://www.antidrogas.com.br/mostraartigo.php?c=33&msg=Aspectos%20Hist%F3ricos%20do%20Tabaco